Fuzzcas e The Mothers

Sábado à noite antes de sair de casa assisti o Revista do cinema nacional, na TV Brasil, onde foi exibida uma matéria com o 5x Favela, agora por nós mesmos. Essa foi a matéria mais completa das que assisti até agora. Com cenas do filme e depoimentos de todos os diretores e diretoras.

Passei na feira de Caxias e dei um bizoiada nas placas das comidas: galinha cabidela, cabrito na chuva, buchada de bode, mas o prato indicado pela própria dona da barraca foi feijão de corda. Depois parti pro Motoclube Veneno da Cobra, que fica ao lado da Faculdade FEUDUC. As bandas programadas eram Fuzzcas e The Mothers…

Antes de entrar parei pra beber uma gelada com os amigos. Se soubesse não jantava antes, porque tinha uma mina queimando uma carne, em comemoração ao seu aniversário no bar, e abastecia a gente a cada minuto. Entrei por volta de uma da manhã e assisti uns vídeos no telão. Depois o DJ Danilo começou a tocar e mandou só lado B. Mesmo o vídeo sendo do ex-vocalista do Stray Cats, Dj tocando ao vivo não tem como comparar.

Ao contrário da filipeta, a banda Fuzzcas foi a primeira a tocar. O figurino é bem bacana, com guitarra, baixo e batera vestidos de preto e branco e a vocal com um vestidinho e uma maleta cheia de objetos sonoros, ou não, que usava ao longo do show. Tudo bem amarrado e bem tocado. Seu rock me lembrou bastante Beatles, até porque eles fizeram covers deles e da Yoko.

Quando a banda The Mothers entrou, pensei em ir embora. Não porque ela fosse ruim, muito pelo contrário. Pelo horário mesmo. Passavam das três da manhã e não tenho mais disposição pra ficar tanto tempo acordado. He he he! Se bem que dá pra perceber um pequeno impacto do som completamente controlado do Fuzzcas para o ruidoso deles. Fui ficando e aos poucos me entregando ao show.

Antes de começar havia percebido que visualmente os integrantes não tinham nada haver um com o outro. O baixo/vocal usava um visual rocker, o baterista não tinha cara de roqueiro e o guitarrista muito menos. Sendo que o batera mudou completamente ao subir ao palco, me causando a impressão que ele era contagiado pela inquietude do vocal. Já o guitarra não expressava agitação, o que ficava bem interessante. Ele destoava do resto da banda compondo um cenário híbrido sem ser inconveniente, já que segurava muito bem nos rifes.

Fui embora na última música. Valeu a noite, não só por encontrar os amigos, mas principalmente pelo ótimo show do Mothers… Rock na veia mermo! Se cantassem em português gostaria mais ainda. Fiquei curioso em saber o que eles falavam das gurias.

É noise!

Cacau Amaral
8 de maio de 2010

Anúncios

Sobre Cacau Amaral

Cineasta brasileiro. Direção em 5X Favela; 1 Ano e 1 Dia; Cineclube Mate com Angu; Sociedade Musical Lira de Ouro; Programa Espelho e Aglomerado. https://cacauamaral.com/
Esse post foi publicado em Diário. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s