Meras ferramentas

Quando a família real portuguesa chegou aqui
Na época da colonização tupiniquim
Criou-se um bairro exclusivo da realeza
Onde não poderia haver vestígios de pobreza
Qual seria a solução para evitar
Que negros e índios pudessem se aproximar
A primeira polícia foi criada, então
E na própria comunidade foi feita a seleção
O próprio povo é que foi treinado
Para manter negros e índios afastados
Concluindo, pagava-se a classe baixa
Pra defender os interesses da privilegiada
Essa filosofia funcional
É mantida até hoje na força policial
Não é acabando com a polícia que se resolve o problema
Uma mera ferramenta do sistema

“Uma mera ferramenta do sistema”

O tempo médio em que estudamos
É de aproximadamente vinte e poucos anos
Sugerido por quem no sistema não está inserido
Vulgarmente é chamado de excluído
Não é acusação aos educadores
Mas sim, a instituição de exclusores
Educadores também são produto do problema
Porque que também foram educados pelo sistema
Não são melhores nem piores que a gente
À medida que também passamos o lixo pra frente
Comemos esse lixo podre, dormimos indiferentes
Ao fedor que nos degrada moralmente
Também contaminaremos todos nossos filhos
Que vão contaminar os filhos de nossos filhos
Não é acabando com a escola que se resolve o problema
Uma mera ferramenta do sistema

O que posso falar a respeito da droga
Se uns dizem ser ruim, outros dizer ser foda
Independente do motivo pelo qual ela é usada
Farei um comentário do “porque” ela foi criada
O álcool, válvula de escape do poder
Criado para o proletário nunca enriquecer
A outra é proibida, mas tem em qualquer esquina
Leva todo seu dinheiro, a porra da cocaína
Pros frequentadores da noite poderem curtir
Três dias gastando, foi criado o extasy
Pros caminhoneiros trabalharem mais, arrebite
Pra gastar no restaurante, cachaça abre o apetite
Toda essa parada não é exagero
Só uma maneira de gastar mais dinheiro
Não é acabando com a droga que se resolve o problema
Uma mera ferramenta do sistema

A mídia, ferramenta principal
De controle de massa com lavagem cerebral
A televisão é a desgraça da nação
Ferramenta de propagação da desinformação
Diminuindo gradativamente o povo brasileiro
Cultuando efetivamente o povo estrangeiro
Estipula um padrão de felicidade
Que nunca será alcançado pela comunidade
No cinema não há nada de diferente
O gringo sempre é referência pra gente
A rádio de longo alcance te engana e te ilude
Com som massificado que controla a juventude
Mas nem tudo está perdido, a resistência é viável
A rádio comunitária é uma mídia confiável
Não é acabando com a mídia que se resolve o problema
Uma mera ferramenta do sistema

Anúncios

Sobre Cacau Amaral

Cineasta brasileiro. Direção em 5X Favela; 1 Ano e 1 Dia; Cineclube Mate com Angu; Sociedade Musical Lira de Ouro; Programa Espelho e Aglomerado. https://cacauamaral.com/
Esse post foi publicado em Letras. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s